Ramos Filho: “estou preparado para organizar a saúde de Eunápolis”

PUBLICIDADE
COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA COM OS SEUS AMIGOS

Em entrevista à Rádio FM Vida 104,9, na tarde desta quinta-feira (20/02), o pré-candidato a prefeito de Eunápolis, Ramos Filho (PTC), foi entrevistado pelos apresentadores Sena Santos e Carlinhos Mototáxi, do programa Vida Comunitária, e falou sobre o cenário da administração pública no município, alvo de uma investigação da Polícia Federal em 2017, e as irregularidades já denunciadas por ele em meio à gestão da saúde em especial, o Hospital Regional.

Publicidade

Simpático e sorridente, o empresário chegou à emissora ao lado de assessores. Durante a entrevista, que durou mais de duas horas, o pré-candidato dedicou um bloco inteiro para responder a vários questionamentos dos ouvintes e se mostrou confiante na candidatura, mesmo diante das dificuldades.

Na ocasião, Ramos Filho expôs as dificuldades financeiras e as irregularidades no atraso da compra de merenda escolar que está obrigando escolas a liberar os estudantes em horário mais cedo, por falta de produtos para alimentação dos alunos e também condenou a falta de atendimento de qualidade no Hospital Regional.

“Esta semana o gestor, andando na contramão da realidade, foi inaugurar a recepção do Hospital Regional, local onde uma mãe deu à luz sobre as cadeiras. No entanto, a gente sabe que da porta pra dentro o Hospital não acolhe o paciente, porque falta até medicamentos. A recepção é bonitinha, mas da porta pra dentro é oco, sujo, podre, não é humanizado”. Disparou.

Disse ainda que o bloco cirúrgico continua totalmente sucateado tal qual ele denunciou há seis meses, inclusive com farta documentação junto ao Ministério Público Estadual. O aparelho de autoclave continua com defeito, segundo Ramos Filho.

“O hospital precisa ter atendimento digno e ágil da porta para dentro. Não é possível um paciente permanecer de 15 a 20 dias internado aguardando uma cirurgia ortopédica”.

Lamentou ainda que “virou moda culpar o servidor público pelas mazelas da administração do prefeito”.

EUNAPOLITANO RAIZ

Ramos Filho assegurou que vai registrar candidatura, apesar de não estar filiado a um partido forte ou mesmo repleto de verbas do fundo partidário, e pontuou que, sendo jovem e eunapolitano “de raiz” não deve ficar fora do processo político eleitoral, “especialmente – destacou – diante de tantos problemas que estamos enfrentando”.

“Com certeza serei candidato, vou até o final; não existe nenhuma dúvida em mim sobre isso. Sou advogado, especializado em administração, duas vezes vereador, foi Eunápolis quem me deu experiência na atuação social e política, me oportunizou a formação educacional, e me possibilitou o exercício da atividade empresarial, por isso, eu tenho responsabilidade com as pessoas que moram aqui”.

Ao responder a Sena Santos, o parlamentar assegurou que pretende retribuir tudo aquilo que a cidade deu para ele. “Quero oferecer a Eunápolis a alternativa de uma nova forma de administração municipal que governe elegendo prioridades e resolvendo os problemas imediatos daqueles que mais precisam do governo, que necessitam de saúde, trabalho, educação, infraestrutura, entre outros”.

“Eu me sinto responsável pela

minha cidade, eu me sinto responsável

pelas pessoas que aqui moram”

APOIO POPULAR

Sobre a importância do apoio do grupo político do ex-prefeito Neto Guerrieri [2012/2016] e de outras figuras públicas, como o deputado federal Leur Lomanto Júnior, do DEM, Ramos Filho disse que o principal apoio vem da vontade popular que deseja mudanças. “Estamos montando um plano de governo enxuto, para isso estamos ouvindo as pessoas e contemplando um plano de governo com essas demandas.”

“A gente tem que fazer o nosso papel político eleitoral, mas a gente também precisa ser administrador e cuidar das pessoas. Essa é minha plataforma: cuidar das pessoas; administrar com planejamento onde a sociedade possa ser contemplada com todos os serviços, de maneira decente, respeitosa, que é o direito do cidadão. Se você paga seus impostos, na condição, é claro, que ele deve ser revertido em saúde, educação, infraestrutura, segurança, serviços públicos, se isso não volta para a população então ela está sendo desrespeitada.” Considerou.

Fonte:  Ascom do mandato do vereador Ramos Filho


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA COM OS SEUS AMIGOS

Comentários

Comentários