Ligue-se a nós

+Noticias

Governo aguarda documentação do exterior para pedir autorização de testes de vacinas, diz Rui

Publicado

no

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA COM OS SEUS AMIGOS

Governo aguarda documentação do exterior para pedir autorização de testes de vacinas, diz Rui 18

O governador Rui Costa (PT) afirmou nesta segunda-feira (17) que a gestão estadual aguarda a chegada de documentação de laboratórios da China e da Rússia para dar entrada no pedido de autorização para testagem de vacinas contra o novo coronavírus na Bahia. O início dos testes dependerá do aval do Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e da Agência Nacional de Saúde (Anvisa).

Entre os processos já adiantados está o da norte-americana Pfizer, por meio do qual 1.000 voluntários das Obras Sociais de Irmã Dulce (Osid) serão submetidos a testes —o que só se dará na última etapa da pesquisa em desenvolvimento, quando avalia-se a segurança e eficácia da possível imunização.

“Nós temos já um processo de implantação e de testagem da Pfizer, que está fazendo junto com Irmã Dulce. O instituto funciona lá em Irmã Dulce, pegando voluntário do Hospital de Irmã Dulce. A Pfizer é um laboratório americano privado,e nós estamos em entendimento. Nós estamos em entendimento. Já formalizamos há duas semanas com a China. Tem duas vacinas que eles também estão entrando na fase três, e a nossa parceria é para contribuir para que possamos agilizar essa fase três das duas vacinas. Essa semana devemos receber todo o material. Vamos hoje enviar o documento para a embaixada russa. Essa semana devemos receber essa documentação da China”, informou o governador em coletiva de imprensa.

Na entrevista, o governador pediu que os meios de comunicação esclareçam à população que ainda não se trata de uma convocação para uma campanha de vacinação.

“O que nós estamos fazendo é pesquisa. Não é vacinação”, disse.

“Quem autoriza que seja feito por instituição pública ou privada teste de vacina no Brasil são duas entidades. Uma é o Conselho Nacional de Ética e Pesquisa. Ele recebe toda a documentação e analisa as outras fases de testes, vê se foi tudo ok e autoriza ou não fazer os testes no Brasil. E, paralelo ao Conselho Nacional de Ética e Pesquisa, é submetido à Anvisa, que também analisará os documentos e aprovará ou não a realização dessa pesquisa. Só depois que esses dois órgãos nacionais aprovarem, aí nós estaremos autorizados a fazer essa testagem”, explicou o chefe do Executivo estadual.

As declarações do governador foram dadas durante uma visita a obras de construção de uma policlínica no bairro de Narandiba, em Salvador.

Na semana passada, o governo russo concedeu a primeira aprovação regulatória do mundo para uma vacina que batizou como Sputnik V —uma referência ao primeiro satélite artificial colocado em órbita pela humanidade à época da Guerra Fria.

A aprovação foi dada pelo Ministério da Saúde do país à imunização produzida pelo Instituto Gamaleia de Moscou após menos de dois meses do início dos testes em humanos, segundo o presidente Vladimir Putin.

Fonte: https://bahia.ba/

Anúncio

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Previsão do Tempo

Publicidade