Ligue-se a nós

Saúde

Homem suspeito de ter coronavírus deixa hospital de São Paulo antes de 2º exame

Publicado

no

Homem suspeito de ter coronavírus deixa hospital de São Paulo antes de 2º exame 23

Um paciente que estava sendo atendido nesta quinta-feira, 27, no Hospital São Paulo, com suspeita de estar infectado com o coronavírus, foi embora sem que os testes tivessem terminado. O homem havia voltado de uma viagem à Itália e apresentava sintomas de gripe. Um primeiro teste havia sido feito e dado negativo para o coronavírus.

No entanto, segundo fontes ligadas ao hospital, a equipe médica o havia internado em isolamento e ainda pretendia fazer novos testes. Ele, então, manifestou a intenção de deixar o local. Sua mulher também estaria com sintomas e sendo atendida em um hospital particular.

O Hospital São Paulo deve se pronunciar oficialmente amanhã sobre o caso. Procurada, a Secretaria Estadual de Saúde disse que está analisando o caso e ainda não tem uma resposta sobre o que será feito.

O hospital, na zona sul da capital, é ligado à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). É um dos principais centros de referência do País e há semanas já tem se preparado para receber pacientes infectados com o coronavírus.

Segundo o código de ética médica, o paciente pode decidir sobre o seu tratamento ou alta médica, mas o médico deve interferir se houver perigo de vida. Publicação do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) informa que “no caso da alta a pedido, sem colocar em risco a vida do paciente, nem o médico responsável nem o hospital podem ferir o princípio da autonomia do mesmo, cerceando seu direito de “ir e vir””.

A alta deve ser, no entanto, documentada e assinada. Segundo informações, o paciente do Hospital  São Paulo não teria assinado o termo. Se houver complicações após a alta, o médico e o hospital podem ser responsabilizados em deixar o paciente ir embora.

Ministério da Saúde informou que o Brasil monitora 132 casos suspeitos de infecção pelo coronavírus. Até agora, um caso da doença foi confirmado, em São Paulo. A quantidade de suspeitas deve continuar crescendo, segundo a pasta, em razão do aumento da “sensibilidade de vigilância” com a inclusão de 15 países no monitoramento. Conforme o secretário executivo do ministério, João Gabbardo dos Reis, “dá para avaliar que estamos próximos de 300 casos suspeitos de coronavírus”.

Fonte: https://www.msn.com/pt-br

Anúncio

Publicidade

Publicidade

    Previsão do Tempo