Golpe do boleto falso engana teixeirenses e tira dinheiro de vítimas

Boleto bancário é o método de pagamento mais utilizado pelos brasileiros, mas ele também pode ser alvo de fraudes para roubar dinheiro. Em um dos golpes, os criminosos instalam um vírus no computador das vítimas para alterar os dados de boletos emitidos pela Internet e redirecionar a quantia depositada até a conta dos golpistas. A fraude mais recorrente em boleto consiste em modificar o código de barras do documento para desviar o pagamento da vítima.

Por isso, a Konduto, empresa brasileira especializada em fraudes, alerta que, quando o código parece estar danificado ou violado, o cliente deve verificar com o emissor a autenticidade do documento para não correr o risco de digitar manualmente o código falso para pagamento via apps ou Internet Banking. Conheça a seguir mais dicas para usar o boleto bancário em segurança e identificar fraudes.

Em um boleto autêntico, o código de barras que aparece na região superior do documento deve ser o mesmo que aparece na parte inferior. Os três primeiros números da sequência correspondem ao código do banco emissor do documento — por exemplo, boletos do Bradesco sempre começam com 237, e os da Caixa, com 104.

Além disso, desconfie se o documento não for detectado por leitura ótica ou se alguma barra do código estiver ausente. Caso isso ocorra, é aconselhável entrar em contato com a empresa para saber se há algo de errado com o boleto emitido e checar a veracidade do documento.

  1. Verifique a fonte de emissão do documento

Na maioria das vezes, os criminosos enviam o boleto falso por vias alternativas como e-mail, SMS ou WhatsApp, em vez de fornecê-lo por canais oficiais, como lojas virtuais de confiança. Por isso, é sempre importante ficar atento ao receber o documento por esses meios. Também evite pagar cobranças que chegam por e-mail ou pelos correios sem verificar a sua veracidade antes. O mais seguro é acessar o site oficial da empresa e realizar a emissão do boleto diretamente.

  1. Fique atento aos dados do boleto bancário

Boletos fraudulentos costumam conter erros de português e de formatação, não apresentando os dados completos do beneficiário. Sendo assim, sempre verifique se o boleto contém informações como data de vencimento, CNPJ e nome do beneficiário. Caso note qualquer indício de fraude, procure a empresa listada no boleto e se certifique de que o documento é verdadeiro.

  1. Observe o valor do documento

Em uma cobrança verdadeira, os últimos números do código de barra sempre são iguais ao valor do documento. Caso essas informações não coincidam, você está diante de um documento fraudulento. Além disso, outro alerta é constar um preço diferente no boleto quando a cobrança costuma ter um valor fixo.

  1. Analise os dados do beneficiário

Outra forma de confirmar se o boleto é verdadeiro é verificar as informações do beneficiário, quando elas estão inclusas no documento. Por exemplo, é possível conferir em aplicativos do governo, como o CNPJ, se os números informados são autênticos e correspondem à empresa cujo serviço o usuário pretende pagar.

Também é aconselhável prestar atenção ao número de agência do beneficiário e buscar no Google a localização do banco. Nesse caso, se a loja tiver sede em São Paulo, mas a agência informada for de outro estado, o boleto pode ser fraudulento.

Fonte: sulbahianews.com.br

Comentários

Comentários