Facebook compartilhou dados privados de usuários com empresas chinesas

Através de um acordo de troca de dados, o Facebook forneceu informações privadas dos seus usuários para as empresas chinesas HuaweiOppoLenovo e TCL. A informação foi divulgada apenas dois dias após uma investigação do New York Times mostrar que diversas companhias, como AppleSamsung e Amazon, também tinham acesso privilegiado aos dados de alguns usuários da rede social.

O acordo com as empresas chinesas está em vigor desde 2010, segundo pessoas que trabalham no Facebook, e deve continuar valendo para três delas. A rede social deve encerrar o tratado com a Huawei no final do ano, provavelmente por causa do conflito constante entre a companhia e o atual governo dos EUA, que chegou a pedir para os cidadãos do país não utilizarem celulares da fabricante.

As informações foram compartilhadas para que as empresas criassem maneiras próprias de integrar o Facebook aos seus dispositivos, em uma época na qual o Android ainda não estava estabelecido como sistema operacional dominante e a Apple tinha lançado a pouco tempo a App Store, permitindo que outros desenvolvedores criassem e distribuíssem aplicativos para o iPhone.

Facebook diz que dados nunca saíram dos aparelhos

Através de um comunicado, Francisco Varela, vice-presidente de parcerias para dispositivos móveis do Facebook, disse que o acordo firmado com as empresas chinesas foi controlado desde o início e todas as experiências criadas por essas companhias com uso dos dados foram aprovadas pela rede social. “Dado o interesse do Congresso, gostaríamos de deixar claro que todas as informações dessas integrações com a Huawei ficavam armazenadas no próprio aparelho e não nos servidores da Huawei”, afirmou o executivo.

O senador democrata Mark Warner, membro do Comitê de Inteligência do Senado dos EUA, disse que espera ouvir explicações do Facebook para comprovar que os dados de usuários americanos realmente não foram enviados para servidores chineses. Huawei, Oppo, Lenovo e TCL foram contatadas para se posicionar sobre a situação, mas optaram por não se manifestar.

Fonte: tecmundo.com.br

Comentários

Comentários